top of page

Tendências globais que impactarão o Marketing em 2023

Com a entrada no quarto trimestre do ano, começam a surgir, inevitavelmente, relatórios de tendências e sugestões de caminhos para responder àqueles que deverão ser os grandes desafios do mundo do Marketing. De acordo com o projecto “Globalization Deep Diver”, do The Drum, há cinco tendências globais a ter em consideração.


Num contexto de inflação e guerra, a UNCTAD (unidade de comércio e desenvolvimento das Nações Unidas) reviu em baixa a previsão de crescimento económico global para apenas 2,5% em 2022, o que representa uma descida em relação aos 3,6% previstos no ano anterior.


Para 2023, o cenário também não é animador: crescimento de apenas 2,2%. Perante estes desafios, eis as cinco tendências de consumo a que as marcas deverão estar atentas e pelas quais devem desenhar as suas estratégias:


Os consumidores não têm tempo para marcas

De acordo com o The Drum, o tempo gasto pelos consumidores em média com publicidade caiu para 54,6% do total, a nível global. E este número deverá continuar a cair. A saída será apresentar conteúdos “com intenção”, ou seja, que sejam relevantes e que tenham um objetivo.


Consumidores se importarão com marcas que realmente causem impacto em seu mundo

É mais provável que os consumidores apoiem marcas que invistam em temas sociais pelos quais tenham interesse. Isso quer dizer que fatores relacionados com o propósito das marcas, e com as suas preocupações com o Planeta, estão a se tornar elementos competitivos e diferenciadores. Mas não basta falar, os consumidores estão cada vez mais atentos ao impacto real.


Os consumidores desconfiados

A desconfiança é crescente: três quartos dos executivos a nível mundial dizem que se tornou mais difícil estabelecer uma relação de confiança desde a pandemia, de acordo com um estudo da Adobe. Um possível caminho seria apostar numa ligação mais próxima com a comunidade, por exemplo. Isso ocorre porque as marcas geralmente “não têm conectividade com a cultura, a comunidade ou seus consumidores”. Para mudar o cenário, é preciso impulsionar as relações humanas.


Maior confiança nos empregadores

Embora não confiem nas marcas, os consumidores parecem confiar nos próprios empregadores. No relatório “2022 Edelman Trust Barometer”, o empregador saltou para o topo da lista relativamente às pessoas ou entidades em quem mais confiam, ultrapassando governos, media, redes sociais e publicidade. Como a fonte mais confiável de informações, os funcionários estão exigindo ter uma voz na visão e na direção da empresa e esperam ver seus empregadores viverem seus valores ao responder a questões sociais críticas. Quando as empresas cumprem isso, os retornos são excepcionais, desde desempenho até colaboradores-influenciadores.


O preço estará em foco

Muitas marcas evitam abordar o fator preço na sua comunicação, mas a verdade é que esta é, e será durante muito tempo, uma preocupação para os consumidores. Só nos Estados Unidos, dois terços dos consumidores afirmam que a subida dos preços/inflação é a sua maior preocupação.


A Faculdade de Gestão e Inovação oferece o MBA Marketing no Agronegócio que foi desenvolvido para dotar seus alunos de competências essenciais para alavancar e gerir resultados em um agronegócio cada vez mais digital e competitivo.


O curso dura apenas 1 ano e 2 meses, é 100% digital e os encontros acontecem mensalmente aos finais de semana no formato ao vivo, uma oportunidade perfeita para quem não tem tempo durante os outros dias. Clique aqui e se inscreva.

コメント


WhatsApp.svg.webp
bottom of page