top of page

Grandes empresas estão investindo em reaproveitamento de alimentos

Não faltam organizações que se comprometem a acabar com o desperdício de alimentos. Muitas têm iniciativas para reduzir esse desperdício em 30% a 50% antes de 2030, o ano-alvo estabelecido pelo Objetivo de Desenvolvimento Sustentável 12.3 das Nações Unidas. Outras tantas ainda não provaram que podem realmente cumprir essas ambições.


Por isso é empolgante o mais recente anúncio da Ikea – empresa mais conhecida por móveis modernos e almôndegas suecas que reduziu pela metade o desperdício de alimentos, economizando mais de 20 milhões de refeições em quatro anos. Esta é a primeira empresa de sua escala a cumprir suas metas de redução de desperdício de alimentos – e eles fizeram isso ao longo de apenas alguns anos.


“Sua conquista é um farol de esperança”, diz Dana Gunders, diretora executiva da ReFED (ONG que se dedica à causa do desperdício de alimentos). Como especialista em desperdício de alimentos nos EUA, ela diz que admira e aprecia a liderança da Ikea.


Reduzir pela metade o desperdício de alimentos é uma meta ambiciosa para uma empresa que opera em mais de 40 países e serve cerca de 560 milhões de refeições por ano, sem mencionar a complexidade de implementar uma solução em uma ampla variedade de geografias, idiomas, opções de menu e normas culturais.


A IKEA não fez isso sozinha. Sua história mostra que, além de metas ambiciosas, também é preciso colaboração entre os setores. O Ingka Group, que possui a maioria das lojas Ikea nos EUA, fez parceria com a empresa de inteligência artificial Winnow para combinar a conscientização dos funcionários sobre o desperdício de alimentos com a tecnologia.


A ferramenta Winnow Vision AI mede e registra o desperdício de alimentos nas cozinhas da Ikea para fornecer aos trabalhadores uma compreensão mais profunda do que está sendo descartado e por qual motivo, para que eles saibam onde podem ser feitas melhorias.


E já existe um caso de negócios atraente para as empresas investirem, visando o futuro do alimento. Como Pearson aponta, acabar com a perda e o desperdício de alimentos é “um dos principais quebra-cabeças que existem neste espaço climático, no momento”.

Ao economizar mais de 20 milhões de refeições e evitar quase 40.000 toneladas de equivalentes de dióxido de carbono, a iniciativa da Ikea economizou US$ 37 milhões (R$ 193 milhões na cotação atual) para a empresa. A ISS Guckenheimer, empresa de catering e gestão de restaurantes corporativos, também trabalhou com a Winnow para economizar mais de 1 milhão de refeições e US$ 2,6 milhões (R$ 13,5 milhões) anualmente até agora.


Comments


WhatsApp.svg.webp
bottom of page